quarta-feira, 20 de março de 2013

RADIOLOGIA: ARMAZENAMENTO DE IMAGENS


RADIOLOGIA: ARMAZENAMENTO DE IMAGENS



Não pode ser dobrados ou sujeitos ao manuseio grosseiro
Os filmes radiográficos devem ser manuseados e armazenados de maneira apropriada a fim de evitar artefatos que possam interferir com o diagnóstico. Eles são sensíveis à pressão, não podendo ser dobrados ou sujeitos ao manuseio grosseiro. Já em relação ao armazenamento dos filmes, anterior ou posterior a sua exposição, deve-se levar em consideração a temperatura, umidade, luz, radiação e data de validade das caixas onde são colocados: 

• Temperatura: como o calor reduz o contraste da radiografia, ela deve ser armazenada em locais com temperatura inferior a 20 °C. 

• Umidade: umidade muito elevada (> 60%) reduz o contraste da radiografia, porém umidade muito baixa (< 40%) pode introduzir artefatos estáticos.

• Luz: como o filme radiográfico é sensível à luz, ele deve ser manuseado e armazenado em salas escuras, antes e depois da exposição à radiação.

• Radiação: como a radiação (não aquela do feixe útil) pode criar artefatos nos filmes, esses devem ser preferencialmente armazenados em salas distantes da passagem de material radioativo para medicina nuclear e, se elas forem adjacentes a salas de raios X, essas devem ser protegidas por paredes mais grossas de chumbo.

• Caixas ou prateleiras: os filmes não devem ser armazenados por tempos mais longos do que a data de validade das caixas ou prateleiras apropriadas para o seu armazenamento.

O armazenamento de imagens digitais é mais simples, se o serviço de radiodiagnóstico tiver uma boa rede para envio das imagens e servidores para o arquivamento das mesmas. Além disso, as imagens digitais não possuem um tempo de vida útil, ou seja, uma data de validade, como os filmes radiográficos. 

Atualmente, há uma modalidade de armazenamento de imagens denominada PACS, do inglês picture archiving and communication system, que significa sistema de comunicação e arquivamento de imagem. Esse sistema refere-se a redes de computadores responsáveis pela digitalização, pós-processamento, distribuição e armazenamento de imagens médicas. Essas imagens digitais provenientes de filmes digitalizados, radiologia digital, tomografia computadorizada, ressonância magnética, ultrassonografia, angiografia, fluroscopia e mamografia digital devem estar no formato DICOM (do inglês, digital imaging and communications in Medicine) para fazer parte do PACS.




Fonte: PORTAL EDUCAÇÃO

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Poste aqui seus comentários e sugestões: